logosenecefinal

Lira admite discutir com líderes votação da jornada de 30 horas para profissionais de enfermagem

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

 

A Câmara tem que fazer gol também, não é só fazer a defesa não”, disse Lira.

 

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), admitiu em Plenário a possibilidade de discutir com os líderes partidários a inclusão da carga horária de 30 horas semanais para os profissionais de enfermagem no projeto que define o piso salarial da categoria em R$ 4.750 (PL 2564/20, de autoria do Senado).

“Essa categoria contribuiu muito, como todos os profissionais de saúde, para o combate à pandemia. Nós teremos uma audiência pública na próxima semana, inclusive avaliando se não merecia colocar no texto do Senado também as 30 horas. A Câmara tem que fazer gol também, não é só fazer a defesa não”, disse Lira.

O projeto foi aprovado recentemente no Senado e seguiu para análise da Câmara. No Plenário, deputados de diversos partidos começaram a coletar assinaturas para que a proposta seja votada em regime de urgência, sem necessidade de passar pelas comissões da Casa.

A deputada Fernanda Melchionna (Psol-RS) ressaltou que a aprovação das 30 horas semanais é uma reivindicação antiga dos profissionais de enfermagem. “É uma luta histórica de uma categoria de 2,5 milhões de brasileiros, em um momento em que a enfermagem salvou tantas vidas e que o Brasil inteiro reconhece a importância desses profissionais da saúde. A gente precisa dar esta resposta”, declarou.

Urgência
Um dos deputados que defendeu a proposta foi Camilo Capiberibe (PSB-AP). “Eu aproveito para declarar apoio e pedir que todos os parlamentares assinem os requerimentos de urgência na votação do PL 2564, que estabelece o piso nacional para o setor de enfermagem, técnicos em enfermagem e para as parteiras. Essa é a melhor maneira, talvez a única, de nós fazermos real justiça com este segmento que esteve o tempo todo, heroicamente, na linha de frente do combate à Covid-19”, afirmou.

Fonte: Agência Câmara de Notícias

Últimas Notícias